5 dicas incríveis para garantir uma boa alimentação infantil

5 dicas incríveis para garantir uma boa alimentação infantil

Postado em:
Blog - Educação Infantil
- 06/06/2018 10:20:02

A alimentação infantil é extremamente importante para o desenvolvimento saudável. Isso requer atenção e merece estratégias eficientes de abordagem, sem se tornar uma questão que pressione demais a criança.
Acompanhe nesse artigo 5 dicas que vão ajudar muito na sua rotina em casa com o seu pequeno.

 

A falta de tempo para se alimentar

O mundo da criança é muito dinâmico e cheio de coisas impressionantes para se descobrir. Como andar sem precisar de apoio, conhecer novas cores e texturas, novos cheiro e gostos. Cada fase traz as suas dificuldades e encantos, geram medos, alegrias e ansiedade para se desbravar o máximo possível aqui e agora.

Essa urgência pode ser um entrave quando chega o convite para se sentar à mesa e “perder” um tempão para comer alguma coisa. É compreensível! Mas por uma infinidade de motivos, é necessário mudar essa mentalidade e mostrar o quanto uma experiência gastronômica pode ser agradável. Vamos acompanhar algumas dicas que têm o objetivo de descomplicar a alimentação infantil.

 

1. Os primeiros hábitos a que somos apresentados são os da nossa família

Extra! Extra! Pais que comem verduras, legumes e frutas costumam ter filhos interessados em comer verduras, legumes! O pediatra e nutrólogo Joel Lamounier, diretor da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), reforça que “se os pais comem de tudo, incluindo legumes e verduras, em geral os filhos não têm dificuldades em comer esses alimentos”. Os pais serem exemplo não é o único fator que fará a criança comer de tudo, mas é uma das melhores formas de influenciar na alimentação infantil.

A nossa família é a primeira organização social que conhecemos na vida e é ali que começamos a decidir o que consideramos normal. Ajuda muito se os pais ou responsáveis substituírem os longos discursos, as negociações e alimentos industrializados por refeições feitas à mesa e facilitar o acesso a comidas frescas e coloridas, cheias de nutrientes.

 

2. “Ele deve estar com fome. Hoje vou dar um biscoitinho na hora do almoço, mas só hoje.”

Por mais que pareça tentador, isso pode não ser uma boa ideia. A criança precisa receber uma alimentação adequada, em cada refeição. Um biscoito pode até ser servido na hora do café da manhã ou em um lanche na parte da tarde, mas é importante que nos lembremos de balancear a alimentação infantil. Uma vez que as receitas industrializadas são sempre muito ricas em gorduras, açúcares, corantes e conservantes e jamais poderão substituir refeições importantes como são o almoço e o jantar.

Nessas oportunidades, os pais podem oferecer uma diversidade de opções com maior quantidade de nutrientes, mais colorida e com texturas diferentes. Sendo assim, reapresentar em novos formatos, alimentos que já tenham sido rejeitados em outras ocasiões.

 

3. Comer bem é inegociável

Já falamos ali em cima e vamos reforçar: não ameace, castigue ou ofereça gratificações para que a criança coma bem. Negociar algo que é tão importante pode fragilizar a autoridade, irritar e traumatizar a criança, além de criar maus hábitos associados ao momento da alimentação.

Uma alternativa é a convidar para fazer parte do processo. Estar mais na cozinha e conhecer o quanto é interessante ver a mudança de estado de um alimento cru para uma refeição bem preparada. Cuidar do que se vai comer é um ato de amor e precisa ser reconhecido.

 

4. Quanto mais cores no prato, mais nutrientes e interesse

Incentive a criança a perceber o quanto o prato está mais bonito e mais saudável quando há nele elementos de origens variadas. Segundo Gabriela Kapim, nutricionista e apresentadora do programa "Socorro! Meu filho come mal", é necessário trabalhar quatro categorias de alimentos, na montagem da refeição: “leguminosos (feijão, grão-de-bico, lentilha); cereal (arroz, trigo, cevada, aveia); proteína (frango, carne, peixe, ovo) e vegetais (hortaliças e verduras)”.

Saúde é resultado de equilíbrio.

 

5. Paciência e nada de pedir apoio aos recursos tecnológicos

Por mais que a televisão, os tablets e smartphones pareçam amigos, não se iluda! A alimentação infantil deve ser cercada de cuidados e um deles é o de ajudar na construção de bons hábitos para a vida toda. Tirar o foco da refeição pode até servir de estratégia para que uma colherada mais rica em nutrientes passe despercebida. Porém o que não está sendo percebida também, são as preciosas lições que estão no entorno de um momento em família, à mesa.

Tenha paciência e acredite no que está fazendo. Consuma alimentos saudáveis e os ofereça como alimentos gostosos e como uma boa decisão. Se toda a família entrar no processo, caberá à criança repetir o que está vendo e isso será muito bom!

 

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Saiba quais são os tipos de ciúmes de irmão e como evitá-los
Saiba quais são os tipos de ciúmes de irmão e como evitá-los
Como identificar características da deficiência auditiva e da surdez
Como identificar características da deficiência auditiva e da surdez
Saiba como cuidar do umbigo do bebê recém-nascido
Saiba como cuidar do umbigo do bebê recém-nascido
6 dicas especiais  para grávidas de primeira viagem
6 dicas especiais para grávidas de primeira viagem
Criança estressada tem menor desempenho na escola. Entenda por que
Criança estressada tem menor desempenho na escola. Entenda por que